Emoção e histórias de superação, marcam a mesa de cidadania e acessibilidade

0
272

Por Diego de Deus e Mayquele Loiola

Durante cerca de 1 minuto, mais de mil pessoas aplaudiram, em pé, os painelistas que participaram das discussões que trataram de Cidadania e Acessibilidade, na manhã desta quarta-feira, no 64º Congresso Estadual de Municípios (CEM), promovido pela Associação Paulista dos Municípios (APM), em Campos do Jordão-SP.


O assunto foi aberto por Nayra Karam Moysés, Secretária Executiva de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo. A secretaria frisou a importância da garantia à acessibilidade e aos direitos fundamentais garantidos constitucionalmente desde 1988, no Brasil, e finalizou assegurando que é possível atingir a equidade de direitos. “São necessárias Políticas Públicas para a garantia da equidade dos direitos básicos, dignidade e acessibilidade à população[…] Para problemas complexos existem soluções inovadoras. Isso que nos motiva a estar a frente da secretaria”, disse.
Célia Leão, Secretária de Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, fez alerta ao número de pessoas com deficiência no estado, e afirmou que se faz necessário que a sociedade, de fato, enxergue e inclua a pessoa com deficiência, ivestindo tempo, empenho e atenção para a melhoria da realidade desses cidadãos. “O Uruguai tem 3 milhões de habitantes, em São Paulo, são 3,7 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência [..] O que me preocupa é a falta de atenção das pessoas em relação à esta minoria tão presente em nosso estado”, advertiu.
Célia explicou também, sobre funcionamento do projeto “Cidade Acessível”, lançado em 2022, que obteve mais de 400 milhões de reais de investimentos, do Governo do Estado de São Paulo. Atualmente, a iniciativa visa entregar, a partir do dia 21 de setembro, equipamentos de acessibilidade para municípios paulistas. Dentre eles, 186 academias adaptadas, 294 cadeiras de trilha, 274 playgrounds acessíveis, 275 cadeiras anfíbias, 350 vans adaptadas, 304 kits de acessibilidade, 16 mil livros infantis acessíveis(libras), além de contemplar cerca de 235 municípios com calçadas acessíveis.
Luiz Orsatti Filho, Secretário Executivo da Justiça e Cidadania destacou a necessidade de uma consciência coletiva para, também, chamar a atenção de políticas públicas para o investimento e manutenção dos direitos básicos e de acessibilidade da população: “Cidadania é isso. Não é somente um termo abstrato. É preciso uma atenção pública para garantir a constitucionalidade dos direitos sociais”, afirmou.
O painel ultrapassou os limites da discussão, e foi encerrado com muita emoção. Beatriz Gusmão, Head de Políticas Públicas e Relações Institucionais do SEBRAE-SP , Dalva Christofoletti, Relações Públicas da APM e o prefeito de Campina do Monte Alegre, Zé Dito, compartilharam histórias pessoais, de lutas e conquistas relacionadas as pessoas com deficiência. O público levantou de suas cadeiras e longos e calorosos aplausos finalizaram a manhã.
Assista o vídeo aqui , com início em 2:36
As fotos do evento estarão disponível até o final do dia aqui