De volta à normalidade, respeitando os direitos e resguardando os deveres

1
797

A APM – Associação Paulista de Municípios, em razão da “greve dos caminhoneiros”, que paralisou o país e mobilizou a opinião pública, e mais, refletindo diretamente nos municípios e na vida dos cidadãos, vem de público manifestar-se:

Primeiramente, solidarizar-se com a categoria que, de forma ordeira, soube utilizar os meios de que dispõe para fazer-se notar, ouvir e alcançar suas reivindicações;

Atendidos, estamos seguros que saberão avaliar e interpretar o “êxito” do movimento, compreendendo a necessidade de voltarem às suas atividades, devolvendo a normalidade na vida das pessoas e a retomada plena dos serviços públicos, especialmente os essenciais.

Destacamos a pronta ação do Governo Federal neste episódio, conduzida pessoalmente pelo Presidente Michel Temer, abrindo rapidamente negociações, atendendo a pauta de reivindicações e pondo fim à crise.

Por fim, sublinhamos o papel desempenhado pelo Governador Márcio França, chamando para si a responsabilidade das negociações no Estado e, com isso, passando a ser personagem importante na solução nacional do episódio.

Esperamos, assim, que a normalidade seja retomada o mais rápido possível, para que a rotina se reestabeleça em todos os 645 municípios do nosso Estado.

Carlos Cruz
Presidente da Associação Paulista de Municípios (APM)


ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MUNICÍPIOS
Rua Araçari, 125 – Itaim Bibi – São Paulo  – SP – CEP: 01453-020
apaulista@apaulista.org.brwww.apaulista.org.br

 

1 COMENTÁRIO

  1. Lúcida e serema avaliação deste importante teste para nossas Instituições e para Democracia que construimos. Parabéns Dr Carlos Cruz por expressar tão bem o pensamento, que acredito, muitos de nós democratas compartilhamos!
    Rogerio Goes
    Conselheiro do CRASP
    DIretor de Relações Institucionais Instituto Articule

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.