Administrar para não faltar

0
280

Já há algum tempo temos ouvido sobre as mais variadas formas de evoluções e revoluções que transformarão
as nossas vidas em alguns poucos anos. E as mudanças são grandes e pretensiosas. A Inteligência Artificial, a Internet das Coisas, o 5G, a Robótica e tantas outras inovações prometem mudar quase todos os aspectos de nossas vidas, desde a nossa relação com o trabalho, até a criação de alimentos em laboratório. O que pouco ou quase nunca – ao menos até agora – ouvimos falar, é
sobre uma solução disruptiva, tecnológica e ultramoderna que substituirá ou tornará infinito aquele que talvez seja o nosso recurso natural mais precioso: a água. E não é que não haja demanda para isso. Segundo matéria publicada no portal G1 da Globo, em junho de 2018, só o Estado de São Paulo desperdiça 36% de toda a sua água potável disponibilizada anualmente.

E é justamente nesta esteira que o CRA-SP – Conselho Regional de Administração de São Paulo, lançou, em janeiro de 2019, o seu projeto Gestão das Águas Paulistas, em parceria com a APM – Associação Paulista de Municípios e o apoio da Rede Brasil do Pacto Global da
ONU. O projeto, menos pretensioso, nada mais é do que uma simplificada ferramenta de gestão ofertada ao gestores públicos gratuitamente pelo CRA-SP em seu portal, que permite que estes, bem como qualquer cidadão, possam monitorar os indicadores
relacionados ao uso das águas de seu município e traçar comparativos com os de qualquer outra região do Estado de São Paulo.
Ainda novo, o ponto alto do Projeto Gestão das Águas Paulistas foi em outubro de 2019, quando o presidente do CRA-SP, Adm. Roberto Carvalho Cardoso, teve a oportunidade
de apresentar a ferramenta durante o 63º Congresso Paulista de Municípios, realizado no mês de outubro, na cidade de Campos do Jordão, e que contou com a presença de centenas de chefes dos executivos municipais do Estado, além de diversas outras autoridades públicas de renome no cenário nacional. Na oportunidade, Cardoso defendeu
que o excesso de informação gera desinformação e que é exatamente por isso que o projeto do CRA-SP preza por oferecer informações simplificadas, estruturadas e de fácil
compreensão a todos que acessarem a ferramenta.
A plataforma que disponibiliza informações referentes a seis diferentes indicadores de gestão (população, tarifa de água, tarifa de água e esgoto, percentual de coleta de esgoto,
percentual de tratamento de esgoto e percentual de desperdício de água) dos 645 municípios do Estado de São Paulo, com série histórica de 2012 a 2017, de forma extremamente simples tem, agora sim, um objetivo
pretensioso: o de conscientizar a todos os envolvidos da necessidade de diminuir, o mais breve possível, o desperdício de água. E enquanto uma solução supermoderna e inovadora
não for pensada para ajudar a causa, o CRA-SP e a comunidade de Administradores do Estado continuarão a auxiliar com aquilo que melhor sabem fazer: administrar
recursos. A ferramenta está disponível no portal do CRA-SP e pode ser acessada
aqui: https://www.crasp.gov.br/ crasp/site/autoatendimento/gestaodas- aguas-paulistas.


Daniel Sguerra é publicitário, Gestor de Eventos, Conhecimento e Comunicação. Coordenador dos Departamentos de Comunicação
e de Relações Externas do CRA-SP.