Alckmin anuncia parceria com 36 municípios: “Sensibilidade de consultar o setor para se certificar quem mais precisa de apoio em cada área”, diz o presidente do Conselho Deliberativo da APM, Vick Nholla.

0
510

O presidente do Conselho Deliberativo, Vick Nholla, representou a APM nesta terça-feira, dia 12, em solenidade no Palácio dos Bandeirantes. Na oportunidade, o governador Geraldo Alckmin autorizou 36 municípios a fazer parceria com o Detran.SP e Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa do Governo de São Paulo que visa reduzir pela metade o número de óbitos no estado. Além de apoio técnico para criação de projetos, as parcerias prevêem também recursos financeiros para viabilizar melhorias viárias e ações de educação para o trânsito.

“Aqui estamos tratando como uma vacina essa que é a terceira causa de morte no mundo todo. Não é doença, é acidente rodoviário. E geralmente perto das cidades onde tem mais bairros, cruzamentos, pessoas andando a pé, de bicicleta”, explicou o governador. “Por isso resolvemos fazer esse programa e fomos buscar o dinheiro da multa. Aquele que comete infração, ele vai financiar a segurança no trânsito”.

Entre os critérios para a escolha das cidades estão o número de habitantes e a proporção de óbitos causados por acidentes de trânsito.

As fatalidades nos novos 36 municípios conveniados (lista abaixo) correspondem a 10% das ocorrências do estado em 2017. A partir de agora, o Movimento Paulista passa a trabalhar em conjunto com 103 cidades que abrigam 78% da população e registram 69% das fatalidades.

“Com essa nova leva de assinaturas, avançamos, em apenas dois anos, de 15 para 103 municípios conveniados ao Detran.SP e ao Movimento Paulista. As parcerias são o ponto de partida para projetos que tornam nossas ruas e estradas mais seguras”, afirma a coordenadora do programa, Silvia Lisboa.

A cerimônia também marcou a assinatura de convênios com 13 municípios que já iniciaram os planos de ações que serão viabilizadas por meio de R$ 21,1 milhões em recursos. São eles: Barueri, Botucatu, Campinas, Guarulhos, Hortolândia, Itapecerica da Serra, Itapeva, Itaquaquecetuba, Jaú, Limeira, Mauá, Salto e São Bernardo do Campo.

“Primeiro fechamos o protocolo com o município para que estude junto com o nosso grupo de trabalho quais as melhores intervenções. Definidas as intervenções, quanto custa, e aí fazemos o convênio e passamos o dinheiro”, descreveu Alckmin. Entre as intervenções a serem realizadas nos municípios estão construção de lombofaixa, gradis de proteção, adequação e implantação de calçada, defesa metálica, faixa de pedestre, rampa de acessibilidade, sinalizações e instalação de fiscalização eletrônica.

Para o presidente do Conselho Deliberativo da APM, o Governo cumpre o seu papel em dose dupla: “Além de atuar tecnicamente para oferecer melhorias, o governador Geraldo Alckmin está tendo a sensibilidade de consultar os municípios para se certificar quais são aqueles que mais precisam de apoio em cada área. Esse deve ser o caminho”, comentou Vick Nholla.

Frentes de atuação

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito possui cinco frentes de atuação. Além dos convênios com municípios, que prevê a destinação de R$ 110,5 milhões provenientes de multas aplicadas pelo Detran.SP, mantém equipes de trabalho com foco em rodovias, ações de órgãos e secretarias de Governo, comunicação e sistema de dados.

O Infosiga SP, sistema com informações mensais de óbitos e acidentes com vítimas nos 645 municípios do estado, é pioneiro no Brasil. A ferramenta compila dados da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária e Corpo de Bombeiros e foi viabilizada por meio de investimentos da iniciativa privada. O Movimento Paulista conta hoje com sete parceiros: Ambev, Abraciclo, Arteris, CNseg, Itaú, ProSimulador e Raízen.

“A missão de reduzir os óbitos no estado envolve toda a sociedade. Além das empresas, o Movimento Paulista conta também com a participação efetiva de 10 secretarias de Estado e também de ONGs e outros atores engajados nessa causa. Juntos, podemos tornar nosso trânsito mais humano e seguro”, conclui Silvia Lisboa.

Sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Programa do Governo do Estado de São Paulo, tem como principal objetivo reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Inspirado na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020, o comitê gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais nove secretarias de Estado: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.  As secretarias são responsáveis por construir um conjunto de políticas públicas para redução de vítimas de acidentes de trânsito no Estado.

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito envolve também a sociedade civil com o apoio de empresas – Abraciclo, Ambev, Arteris, Banco Itaú, CNseg, ProSimulador e Raízen – e do Centro de Liderança Pública (CLP).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.